PLANTÃO 24H
Av. Amazonas nº 2218, bairro Santo Agostinho - Belo Horizonte/MG

Serviços

ANATOMIA PATOLÓGICA

O Laboratório de Anatomia Patológica do Santo Agostinho Hospital Veterinário realiza exames de Histopatologia, Citopatologia e Necropsia.

A Anatomia Patológica dá importantes subsídios para diagnósticos de  doenças de  qualquer tecido ou órgão retirados de um indivíduo. Após minucioso exame macro e microscópico, obtém-se uma conclusão diagnóstica que pode orientar o tratamento e auxiliar na definição do prognóstico do paciente.

Exame Citológico

O exame citológico é indicado como um método de diagnóstico rápido, prático, de fácil execução e pouco invasivo. É útil na triagem de lesões de acordo com a origem do processo: inflamatório, degenerativo ou neoplásico. Ao longo dos anos, alguns recursos foram incorporados à prática da citologia, como punções guiadas por ultra-som ou tomografia computadorizada

Exame Hispatológico

O exame histopatológico é precedido da realização de um procedimento cirúrgico, quer uma biópsia incisional, biópsia excisional ou a retirada parcial ou total de um órgão.

A histopatologia consiste na inclusão em parafina  pequenos fragmentos de tecidos biológicos para confecção de um preparado histológico padrão, corado pela técnica de hematoxilina-eosina (H&E). Além da definição de diagnósticos, a avaliação histopatológica também permite a obtenção de outros parâmetros importantes como omo exemplo a avaliação da margem cirúrgica, após exérese de formações neoplásicas.

Necropsia

Necropsia é o exame criterioso de todos os órgãos e tecidos de um animal morto, podendo confirmar, refutar, esclarecer, modificar ou estabelecer um diagnóstico. Por vezes, a necropsia é a única forma de se chegar a um diagnóstico conclusivo.

ACUPUNTURA

Utilizada há cinco milênios para diagnóstico e tratamento de uma série de doenças que afetam o homem, a Acupuntura tem conquistado um espaço cada vez maior dentro da medicina veterinária. A prática da inserção de agulhas em pontos pré-determinados da superfície corporal, mesmo em animais, era de uso corrente entre os habitantes da China antiga, que o faziam não só com fins curativos, como também uma modalidade preventiva e terapêutica para uma grande variedade de afecções.

Tendo como fundamento a Medicina Tradicional Chinesa (MTC), o objetivo da Acupuntura é o de restabelecer o fluxo adequado de um estado de equilíbrio dinâmico, no qual esta energia é constantemente transformada, num processo natural e amplo, visto que, para a Medicina Tradicional Chinesa o livre fluxo energético não é algo que ocorre única e exclusivamente no interior dos seres vivos, mas também entre si e o meio onde vivem. Desta forma, os padrões de saúde ou doença de acordo com suas teorias, não são fenômenos isolados e afetam outros pontos do organismo como um todo, alterando o fluxo energético em outros pontos do organismo, que, vistos através da lógica ocidental de pensamento, nada teria de relação com o problema primário. Ainda sob a visão da MTC, o que acontece no interior do indivíduo é um reflexo do que ocorre no universo, ou seja, cada indivíduo é um microcosmo.

Dentro da Veterinária, a Acupuntura tem se mostrado um recurso útil nos casos de dor crônica, sendo que esta pode ter diversas orígens (traumatismos, síndrome do disco intervertebral, compressões neurais, espondiolopatias, processos degenerativos de articulações, etc.). Há também relatos de sucesso do tratamento pela Acupuntura de algumas moléstias não responsivas à Terapia convencional, como alergias e distúrbios comportamentais. O aspecto preventivo da Acupuntura é mais facilmente compreendido quando se tem o conhecimento de que, em princípio, o desequilíbrio se manifesta num nível energético e que, à medida em que ele se perpetua, também se aprofunda afetando, em seqüência, o nível emocional, e por último, o físico. Por isso o restabelecimento do fluxo adequado da energia através dos meridianos pode prevenir, e muitas vezes, regredir processos patológicos em desenvolvimento.

Talvez o maior entrave para a prática e divulgação da Acupuntura seja o aspecto cultural, uma vez que a MTC se baseia nos aspectos filosóficos das muitas escolas através das quais se desenvolveu (Escolas Confucionista e Legalista, durante a Dinastia Han, Escola de Princípios Neo-Confucionista, durante a Dinastia Sons, etc.). Todavia, os resultados obtidos devem servir de estímulo para a sua prática no ocidente, contribuindo desta forma, não só para promover o bem estar da humanidade e dos animais, mas também favorecendo a união entre os povos e mostrando que, independentemente de cor, raça, língua ou raízes culturais, cada um de nós pode contribuir para o equilíbrio energético do Macrocosmo em que vivemos.

Atendimento

imagem%20comunicado%20site.jpg